"A Música antes de mais nada!"

Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

tags

todas as tags

pesquisar

 

arquivos

Setembro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

favorito

Para ti...

posts recentes

Mão Morta - "Pesadelo em ...

Movimento UPA edita CD

Mão Morta - versão dupla

subscrever feeds

Sexta-feira, 2 de Abril de 2010

Mão Morta - "Pesadelo em Peluche"

A celebrar agora 25 anos de carreira, os Mão Morta editam a 19 de Abril o seu novo álbum de originais e o primeiro com selo da Universal Music Portugal, "Pesadelo em Peluche". O álbum tem doze temas, incluindo o primeiro single já a rodar nas rádios, "Novelos da Paixão", e "Como um Vampiro", que conta com a colaboração de Fernando Ribeiro, vocalista dos Moonspell. A apresentação oficial de "Pesadelo em Peluche" está marcada para dia 29 de Abril, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

“PESADELO EM PELUCHE”, por Adolfo Luxúria Canibal:
 
Pesadelo Em Peluche teve como ponto de partida o livro The Atrocity Exhibition (A Feira de Atrocidades), de J. G. Ballard, e a questão aí levantada da nova percepção do real que o panorama mediático e cultural instituído pela moderna comunicação de massas induz no indivíduo. É sobejamente conhecida a anedota do miúdo urbano que se espanta ante a visão de uma galinha viva porque só a figurava depenada e dependurada nos talhos e nos supermercados. Da mesma forma, com o devido reajuste de escala, que traços de personalidade são sulcados no sujeito diariamente exposto às imagens choque de guerras, acidentes, crimes ou catástrofes naturais que enchem os noticiários televisivos, aos paradigmas produzidos pela publicidade na permanente exaltação de objectos quotidianos como o champô, o automóvel, os destinos de férias ou os gadgets tecnológicos, aos mexericos emocionais da vida privada de vedetas televisivas e demais figuras públicas constantemente expostos nas capas das revistas e nos escaparates dos quiosques, aos infindáveis cenários de auto-estradas, engarrafamentos, viadutos, aeroportos e vastos bairros uniformes que lhe marginam as jornadas casa trabalho? Essa matéria visual da cultura mediática e os novos desejos e padrões psíquicos que fomenta constituem o cerne das histórias contidas nas canções e também a premissa para a sua composição, desenvolvida a partir de algumas das matrizes que os últimos 30 anos da história do rock fixaram. Assim, os riffs ou as batidas à maneira de servem para enquadrar narrativas psicóticas onde a pulsão sexual é alimentada por estranhos fetiches e a morte não passa de uma ficção conceptual carregada de encantos obscenos. Como se, perdido o equilíbrio genésico, a vida se transmutasse num perturbante pesadelo de desconcerto numa mente entorpecida pelo peluche do conforto. 

Alinhamento do álbum:

1. Novelos da Paixão
2. Teoria da Conspiração
3. Paisagens Mentais
4. Biblioteca Espectral
5. Tardes de Inverno
6. Como um Vampiro
7. Penitentes Sofredores
8. O Seio Esquerdo de R.P.
9. Fazer de Morto
10. Metalcarne
11. Estância Balnear
12. Tiago Capitão

 

publicado por Novembro Azul às 14:38
link do post | comentar | favorito
Domingo, 23 de Novembro de 2008

Movimento UPA edita CD

Vinte bandas e artistas portugueses juntaram-se num movimento de alerta para o preconceito de doenças mentais e gravaram, dez temas que agora estão reunidos numa colectânea a editar esta segunda-feira, 24 de Novembro.

 
Mariza, Xutos & pontapés, Sérgio Godinho, Clã, Mão morta, Dead Combo, Camané e José Mário Branco, são alguns dos nomes que interpretam oito temas inéditos e duas versões.
 
Movimento UPA – Unidos Para Ajudar é um projecto da associação “Encontrar-se”, fundada há 2 anos e do guitarrista Zé Pedro, com o objectivo de criar temas originais que sensibilizem para o preconceito, que existe, em relação às doenças mentais.
 
A colectânea, produzida por Nuno Rafael e editada pela Sony Music, abre com «Alguém me ouviu (mantém-te firme)», sobre desespero e esperança, que juntou pela primeira vez a fadista Mariza e o rapper Boss AC, com Bernardo Couto na guitarra portuguesa.
 
Os Xutos & Pontapés juntaram-se aos Oioai para gravar «Pertencer», sobre a culpa e a tolerância, enquanto Jorge Palma cantou com os Clã sobre solidão e fraternidade em «Convite» e os Mesa colaboraram com Rui Reininho em «BI.polar», para falar de medo e compreensão.
 
Com o Movimento UPA «conseguimos dar um bocadinho mais de voz a uma coisa que é parte do que somos, mas que se esconde, que não é falado e que não é prioridade política», disse Filipa Palha, da associação “Encontrar-se”, referindo-se às doenças mentais, aos estados depressivos, à esquizofrenia.
 
Dos músicos que se associaram a esta causa, destacam-se ainda os Mão Morta, que gravaram com José Mário Branco o tema «Loucura», e Sérgio Godinho, desafiado para regravar com Xana um tema seu antigo, «O rei vai nu», ambos sob a dualidade culpa/tolerância.
 
A colectânea fecha com Camané, que reinventa com os Dead Combo o tema «Vendaval», conhecido anteriormente na voz de Tony de Matos.
 
As receitas das vendas do álbum reverterão para a associação “Encontrar-se”, que luta actualmente por um espaço de atendimento a quem lhe solicita ajuda.
 
Zé Pedro não descarta ainda a hipótese de realização de um concerto com todos os artistas convidados a participar neste movimento.
 
Uma colectânea a adquirir, para ajudar!

 

publicado por Novembro Azul às 11:56
link do post | comentar | favorito
Domingo, 17 de Fevereiro de 2008

Mão Morta - versão dupla

O disco "Maldoror" dos portugueses Mão Morta vai ser colocado à venda nas salas onde a banda vai tocar. O disco foi gravado nos dias 11 e 12 de Maio no Theatro Circo, em Braga.

O registo é duplo, apresenta quinze canções e é limitada a 3000 exemplares contendo um pequeno livro com excertos de "Os Cantos de Maldoror" e ilustrações da autoria de Isabel Lhano.

Os Mão Morta têm agendados concertos para Torres Vedras dia 23 de Fevereiro, a 7 e 8 de Março em Viseu, dia 13 em Leiria, dia 5 de Abril em Faro, a 12 em Estarreja, em lisboa a 23 de Abril e em Braga a 3 de Maio.

publicado por Novembro Azul às 20:01
link do post | comentar | favorito